IMUNOCAN V8

Vacina para imunização ativa de cães auxiliando na prevenção contra a Cinomose (CDV), Hepatite Infecciosa (CAV-1), Laringotraqueíte Infecciosa (CAV-2), Parvovirose (CPV-2), Parainfluenza (CPiV-2) e Leptospirose (Leptospira icterohaemorrhagiae, L. canicola e L. gryppothyphosa inativadas).

IMUNOCAN V8

A vacina IMUNOCAN V8 é uma vacina formulada com tecnologia clássica e muito segura, sendo os antígenos virais o CDV, CAV-2, CPiV-2 e CPV-2 Vivos Atenuados compondo apenas a fração liofilizada da vacina e as 3 Leptospiras são antígenos bacterianos inativados compondo exclusivamente a fração liquida da vacina.

Quando menos é mais

IMUNOCAN V8 segue as tendências mais modernas de imunização em cães utilizando somente antígenos que têm relevância epidemiológica em nosso ambiente.

Uma vacina livre de antígenos não recomendados

Todos os cães e gatos necessitam do benefício da vacinação, não só para sua proteção individual, mas principalmente porque a vacinação de cada indivíduo é que proporcionará a imunidade da população, o quê minimiza a possibilidade dos surtos das doenças infecciosas. Com este panorama global, reconhecendo que os cuidados com cães e gatos estão sujeitos a uma variação significativa na prática em todo o mundo, as diretrizes internacionais de vacinação são constantemente atualizadas pelas diferentes federações, associações veterinárias mundiais como a WSAVA (World Small Animal Veterirnary Association) e a FIAVAC (Federação Ibero-americana de Associações Veterinárias de Animais de Companhia) entre outras, que são fundamentadas sempre  em princípios baseados em evidências clinicas populacionais.

Essas diretrizes de vacinação fornecem a informação técnica necessária para os médicos veterinários responsáveis pelos programas de vacinação atuarem, sempre considerando lidar com tutores de animais de estimação comprometidos e dispostos a levar seus animais ao veterinário para receber a série de vacinas completa recomendada.

Atualmente as vacinas são classificadas em três grandes grupos, sendo: Vacinas Essenciais, Vacinas Não essenciais ou Opcionais e Vacinas Não recomendadas.

    1. Vacinas Essencias são aquelas que todos os cães, independentemente das circunstâncias ou localização geográfica, devem receber. As vacinas essenciais protegem os animais de doenças graves, potencialmente fatais, que têm distribuição global, sendo aquelas que protegem contra o vírus da Cinomose canina (CDV), o Adenovírus canino (CAV) e os variantes do Parvovírus canino tipo 2 (CPV-2) e contra o vírus da Raiva onde for endêmico e houver exigência legal, como no Brasil.

    2. Vacinas Não Essenciais ou Opcionais estão indicadas para os animais expostos à ambientes com alto risco de contaminação ao agente específico e onde há comprovada distribuição geográfica da doença, o que varia muito em cada país. Entre elas estão as vacinas contra a Leptospirose, a Bordetella canis e o vírus da Parainfluenza canina.

    No Brasil, a maioria das vacinas polivalentes, incluindo a IMUNOCAN V8, contém antígenos para a Leptospirose. Primeiramente porque trata-se de uma importante zoonose e porque sua ocorrência nos animais domésticos é muito alta devido às precárias condições de saneamento básico nos centros urbanos e também a existência de muitos propriedades rurais muito próximas aos reservatórios silvestres da doença. Vale ressaltar ainda que, devido ao fato de que uma grande porcentagem de cães vacinados contra a leptospirose desenvolve imunidade que permanece por um período curto, é necessário a revacinação periódica.

    3. Vacinas Não Recomendadas são aquelas vacinas contra doenças que não possuem significado clínico importante ou que os animais que apresentam a doença respondem prontamente ao tratamento, como por exemplo a vacina contra a Coronavirose. Vários estudos já demonstraram que os cães com idade superior a 8 semanas de idade, não estão mais susceptíveis a infecção pelo Coronavírus canino. Além disso, a vacina contra Coronavírus também é classificada como Não Recomendada, pois não há evidências que comprovem a proteção efetiva contra as variantes patogênicas desse vírus; as escolas Médicas Veterinárias no mundo, não recomendam a vacinação injetável contra o Coronavírus, pois, por serem aplicadas por via parenteral, não induzem a formação do tipo de anticorpo ideal para a proteção necessária contra a infecção pelo Coronavírus canino, ficando assim a eficácia comprometida.

    Fazem parte também deste grupo das vacinas Não recomendadas, além daquelas sobre as quais as evidências de eficácia após seu uso são mínimas pela baixa indução de imunidade, também aquelas cujos efeitos colaterais, pós administração da vacina, são maiores que os benefícios. Entre elas destacamos a vacina contra o Adenovírus tipo1(CAV-1), que pode produzir efeitos indesejáveis como insuficiência renal, uveíte e opacidade da córnea (“Blue Eye reaction”) .

     

    Uma melhor proteção contra Leptospirose:

    IMUNOCAN V8, é a única vacina do tipo V8 para cães, disponível no Brasil, que tem na sua fórmula o sorotipo L. grippotyphosa, cuja prevalência aumentou significativamente nos últimos anos, devido à proximidade dos centros urbanos de áreas de matas nativas, expondo os cães domésticos ao contato com animais silvestres, que são reservatórios dessa leptospira. A leptospirose por L. grippotyphosa tem sido apontada como causa importante de insuficiência hepática e renal aguda em cães.

    As outras vacinas polivalentes tipo V8 disponíveis no Brasil, protegem somente contra os sorotipos L. canicola e L. icterohaemorrhagiae, portanto os cães que são imunizados com esse tipo de vacina polivalente continuam susceptíveis a infecção pelo sorotipo L. grippotyphosa, podendo desenvolver os sintomas clínicos de leptospirose com insuficiência renal aguda ou insuficiência hepática, dessa forma, em cães que apresentem sintomas de Hepatite, e que não tenham sido vacinados com contra a L. grippotyphosa, há necessidade de fazer diagnóstico diferencial, com outras causas de hepatite crônica ativa.

     

    Mecanismo geral de ação das vacinas

    Após a aplicação, os antígenos contidos nas vacinas são reconhecidos como partículas “estranhas” pelo sistema imunológico dos cães, ativando-o e induzindo a formação de anticorpos específicos contra os antígenos contidos na vacina. Estes anticorpos específicos é que impedirão o desenvolvimento das doenças em caso de infecção pelos vírus. Nos animais sadios e que respondem adequadamente ao estímulo vacinal a imunidade começa a se desenvolver em média 14 dias após a data da primeira vacinação e estará completamente desenvolvida 2 semanas após o término do programa da vacinação.

    As Diretrizes Internacionais de Vacinação (VGG) reconhecem que a presença do anticorpo materno (do inglês Maternal Derived Antibodies – MDA) interfere na eficácia da maioria das atuais vacinas essenciais administradas aos filhotes de cães e gatos no início da vida. Como o nível do MDA varia significativamente entre as ninhadas, o VGG recomenda a administração de múltiplas doses das vacinas essenciais aos filhotes de cães e gatos, sendo a dose final aplicada com, no mínimo, 16 semanas de idade, quando a maioria dos filhotes já não tem mais MDA circulantes para interferir na resposta à vacinação. Nas situações culturais ou financeiras em que o animal de estimação pode ter apenas o benefício de uma única dose de vacina, a vacinação deverá ser realizada com vacinas essenciais, na idade de 16 semanas ou mais em cães saudáveis e sem contatantes doentes.

    As doses de reforço deverão ser realizadas com intervalos mínimos de 14 dias não devendo ultrapassar 28 dias, sendo que o intervalo ideal aplicado deverá sempre seguir a recomendação dos fabricantes. Para a vacina IMUNOCAN V8, o intervalo máximo entre doses da vacinação primária é de 21 dias.

    A revacinação deverá ser repetida, no mínimo, a cada 12 meses a fim de manter a imunidade permanente dos animais vacinados. A realização de testes sorológicos para detecção dos níveis de anticorpos, poderá determinar a necessidade ou não da revacinação anual, podendo esse intervalo ser prolongado até 3 anos.

    IMUNOCAN V8

    Apresentação e Modo de uso

    Composição

      Componente liofilizado: Vírus vivos atenuados da Cinomose (CDV), Hepatite Infecciosa (CAV-1), Laringotraqueíte infecciosa (CAV-2), Parvovirose (CPV-2) e Parainfluenza (CPiV-2)

      Componente líquido: Leptospiras inativadas:  Leptospira icterohaemorrhagiae, Leptospira canicola, Leptospira grippotyphosa

      Adjuvante: Hidróxido de alumínio

      INDICAÇÃO

        Para a imunização de cães sadios com no mínimo 8 semanas de idade ou mais velhos, auxiliando na prevenção contra Cinomose, Hepatite infecciosa, Laringotraqueíte infecciosa, Parvovirose, Parainfluenza e os sorovares mais comuns de Leptospiras (L. icterohaemorrhagiae, L.  canicola, L. grippotyphosa)

        Dose

            1 ml (conteúdo liofilizado diluído pelo líquido) independentemente da idade, peso ou raça.

            Modo de uso

                A vacina deve ser aplicada por via subcutânea, preferencialmente na região da cernelha dos cães com idade a partir de 8 semanas; doses de reforço devem ser aplicadas com intervalos de 14 a 21 dias, até que o cão tenha pelo menos 16 semanas completas de vida.  O número de doses de reforço aplicadas poderá variar, e sempre deve seguir a orientação do Médico Veterinário que deve levar em consideração o ambiente em que o animal vive.

                A imunidade ativa se estabelece 14 dias após a aplicação da última dose.

                A revacinação deve ser repetida anualmente para a manutenção da imunidade permanente nos animais vacinados.

                Validade

                  24 meses. Após a diluição, a vacina deve ser usada imediatamente.

                  Armazenamento

                    • Armazenar sob refrigeração entre 2oe 8o C, em um local seco e escuro.
                    • Não congelar.

                    Apresentação

                      • Embalagens com 10 frascos-ampola com a fração liofilizada e 10 frascos-ampola com 1 ml da fração liquida.
                      • Etiquetas destacáveis para uso em certificados de vacinação.

                      Venda sob prescrição e aplicação sob a orientação do Médico Veterinário.

                      Produto Importado

                      IMUNOCAN V8 ®

                      Licenciado no Ministério da Agricultura sob o nº 10.191/2016

                      Representante Exclusivo do Brasil, Importador e Distribuidor: Laboratórios Grascon do Brasil Ltda.

                      Vacinas

                      Imunocan V8

                      Imunocan Puppy

                      Biofel PCH

                      Imunocan D

                      Contato

                      +55 11 5677-5807

                      Endereço

                      Rua Emílio de Sousa Docca, 472 – Vila Santa Catarina – São Paulo – SP – 04379-024 – Brasil

                      Laboratórios Grascon do Brasil Ltda - 2022 | Todos os Direitos Reservados

                      Configurado por Design 24 Horas - Arte, Criatividade e Serviços